Olá pessoal,

Na verdade, nem sei por onde começo esse post, mas achei importante dividir mais uma experiência com vocês. Ontem, me convenci que seria importante contar para vocês o que andei fazendo (e eliminando) nessas últimas semanas que vem mudando minha vida. Lendo alguns comentários do meu post sobre a Iodoterapia e vi que outras mulheres tem a mesma preocupação que eu: será possível emagrecer depois de todo o tratamento (cirurgia, iodo e ajuste do hormônio)? Na verdade, é sim. Confesso que o hormônio tem um papel fundamental em todo o processo de emagrecimento e precisa estar no nível certinho para que tudo funcione, já que para aqueles quem tem “hipotireoidismo” (dosagem baixa de hormônio da tireóide), o seu metabolismo é bem mais lento do que o normal, dificultando a perda de peso.

Desenho Parque da Cidade

 

Até o dia 15 de janeiro, eu ainda tinha esperanças que o hormônio sintético me faria emagrecer tudo o que ganhei com o tratamento. Eu esperava emagrecer sem abrir mão das guloseimas (que você vê por aqui), sem fazer exercício (é, assim mesmo, como um passe de mágica). Esperei por esse milagre durante 4, 5 meses, mas infelizmente, nem vi a cor do santo. Foi então que decidi por um fim nesse dilema e lutar contra o que tanto me incomodava.

Mais >

Artigos relacionados: