Como falar de comida e não falar da origem dela? A minha intenção com o post de hoje é alertar sobre o que andamos consumindo por aí e como vincular alimentação e saúde da forma correta.

Que frutas, verduras e legumes são essenciais para uma alimentação saudável tudo mundo já sabe, mas você já a qualidade e procedência dos produtos que você põe à mesa?

Maçãs orgânicas

 

Há alguns meses, assisti um documentário da Fiocruz sobre agrotóxicos nas plantações brasileiras e como de costume, fiquei chocada com o resultado. A matéria abordava sobre a quantidade de “veneno” que está presente em vários dos alimentos que consideramos “saudáveis” e como ganância humana faz com que essa situação se repita Brasil a fora.

Pesquisando sobre o assunto, encontrei mais informações no relatório do PARA (Programa de Avaliação de Resíduos de Agrotóxicos em alimentos), elaborado todo ano pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O objetivo do Para, criado em 2001, é garantir a segurança alimentar do brasileiro e a saúde do trabalhador rural. O Programa funciona a partir de amostras de alimentos coletadas pelas vigilâncias sanitárias dos estados e municípios em supermercados.

Em 2010, o Programa monitorou o resíduo de agrotóxicos em 18 culturas: abacaxi, alface, arroz, batata, beterraba, cebola, cenoura, couve, feijão, laranja, maçã, mamão, manga, morango, pepino, pimentão, repolho e tomate. Apesar das coletas não terem caráter fiscal, o Para tem contribuído para que os supermercados qualifiquem seus fornecedores e para que os produtores rurais adotem integralmente as Boas Práticas Agrícolas.

Texto de Danilo Molina – Imprensa/Anvisa

 

O propósito da utilização dos agrotóxicos é o combate a pragas específicas, sem a destruição dos alimentos e também não deixar resquícios em quantidades tóxicas para os seres humanos. O consumo em quantidade inadequadas desses produtos químicos está associado à: alterações hormonais, aparecimento de doenças do sistema nervoso central, e doenças respiratórias, lesões hepáticas, câncer e entre outras enfermidades graves. Todas essas enfermidades foram resultado de pesquisas em laboratório.

Tudo isso misturado à ganância dos grandes produtores, criação de patentes absurdas que obrigam os agricultores a utilizarem agrotóxicos mais a ignorância da população, resulta em um país escravo e doente.

O PARA de 2010 analisou 2488 amostras em 25 estados (com exceção de São Paulo) e no Distrito Federal e resultados podem ser observados nas tabelas a seguir:

Tabela PARA 2010 - Norte Sudeste e Sul

Tabela PARA 2010 - Regiões Norte, Sudeste e Sul

 

 

Tabela PARA 2010 - Centro-oeste e Nordeste

Tabela PARA 2010 - Regiões Centro-oeste e Nordeste

Esses dados também podem ser visualizados de conforme condensada, ou seja, sem a divisão de amostras por estado.

Tabela Amostras de Alimentos - Geral

Os números realmente impressionam, né? De acordo com essa tabela, o top 10 dos alimentos mais afetados pelos agrotóxicos são:

  1. Pimentão (esse eu já sabia!);
  2. Morango;
  3. Pepino;
  4. Alface;
  5. Abacaxi (que tristeza!);
  6. Beterraba;
  7. Mamão;
  8. Tomate;
  9. Laranja;
  10. Maçã.

Com o crescimento da conscientização da população, cresce também o consumo de produtos orgânicos, aqueles produzidos sem agrotóxicos, de forma natural, sem a necessidade de utilização de pesticidas para combater as pragas das plantações. Porém, alguns pontos devem estar bem claros antes de você optar pelos orgânicos:

  • O preço é um ponto importante. É evidente que produtos orgânicos costumam ser mais caros do que os não orgânicos, imagino que pelo cuidado e maior dificuldade no cultivo;
  • Há ainda a dificuldade em não encontrar alimentos que não são da época, geralmente acontece no caso das frutas. Você encontrará à venda apenas as frutas da estação. Aqui nas redondezas de Brasília são produzidos morangos orgânicos, porém, quando chega a época de chuva, é impossível encontra 1 caixinha sequer à venda. Em compensação, chegou a época das maçãs;
  • Outro coisa que notei na mudança do consumo de não orgânicos para orgânico foi quanto a quantidade e qualidade das frutas colocada à venda. Geralmente, nos mercados e feiras, as frutas orgânicas acabam mais rápido do que legumes e verduras e algumas vezes, as frutas não tem uma aparência tão boa quando comprada às não orgânicas.

Em contra partida a tudo isso, os orgânicos são muito mais saudável e mais saborosos.

Se você está decidido à mudar de vida, vá a uma feira de orgânicos ou supermercado mais próxima da sua casa e procure pelo selo de Produto Orgânico do Brasil.

Não sabe como encontrar uma feira de orgânicos mais próxima de você? Clique no banner Mapa de Feiras Orgânicas na lateral direita do blog ou acesse o site do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor.

Para quem se interessar em mais detalhes sobre o PARA e os agrotóxicos encontrados em cada alimento, acesse o link e baixe o PARA 2010 completo.

E para mais informações acesse o portal da Anvisa.

 

Um ótimo fim de semana para todos!

Beijus…

Artigos relacionados: