Olá pessoal,

Na verdade, nem sei por onde começo esse post, mas achei importante dividir mais uma experiência com vocês. Ontem, me convenci que seria importante contar para vocês o que andei fazendo (e eliminando) nessas últimas semanas que vem mudando minha vida. Lendo alguns comentários do meu post sobre a Iodoterapia e vi que outras mulheres tem a mesma preocupação que eu: será possível emagrecer depois de todo o tratamento (cirurgia, iodo e ajuste do hormônio)? Na verdade, é sim. Confesso que o hormônio tem um papel fundamental em todo o processo de emagrecimento e precisa estar no nível certinho para que tudo funcione, já que para aqueles quem tem “hipotireoidismo” (dosagem baixa de hormônio da tireóide), o seu metabolismo é bem mais lento do que o normal, dificultando a perda de peso.

Desenho Parque da Cidade

 

Até o dia 15 de janeiro, eu ainda tinha esperanças que o hormônio sintético me faria emagrecer tudo o que ganhei com o tratamento. Eu esperava emagrecer sem abrir mão das guloseimas (que você vê por aqui), sem fazer exercício (é, assim mesmo, como um passe de mágica). Esperei por esse milagre durante 4, 5 meses, mas infelizmente, nem vi a cor do santo. Foi então que decidi por um fim nesse dilema e lutar contra o que tanto me incomodava.

Desde o dia 16 de janeiro entrei numa rotina que mistura a reeducação alimentar e exercícios. Meu conselho para quem não sabe por onde começar é: procure um profissional (nutricionista) e coloque esse bumbum para mexer. Só sentar e levantar do sofá não vale, pode até ser uma caminhada, coisa de 30 minutinhos, você vai ver como já faz muita diferença. Também alimente-se bem, a cada 3 horas, com bastante variedade de frutas e verduras, reduza o consumo de doces (e não basta parar de comer chocolate ou outras sobremesas, o açúcar em exagero do cafezinho ou suco também conta), alimentos gordurosos (dê preferência aos assados), beba muita água e tenha o prazer de comer uma saladinha todos os dias. Não gosta de salada? Então, aprenda a comer. Eu fui “obrigada” a aprender depois que casei e não me arrependo jamais, já que isso é o maior motivo de orgulho do meu marido.

Outra dica é não excluir totalmente o consumo de carboidratos, pois, o nosso corpo o utiliza como fonte de energia. Se você reduzir bruscamente o consumo de carboidratos pode se sentir fraca e ficar muito, mas muito mal-humorada. A proteína ainda é um dilema para mim, já que não como carne vermelha e frango. Para quem segue nessa comigo, pode consumir o tofu (clique aqui para ver receitas com tofu, o queijo de soja), que fica uma delícia quando feito da forma correta.

Estou nessa rotina há um pouco mais de um mês e já se foram 4 quilinho (e que não voltem nunca mais). Pretendo perder um pouco mais, mas como a minha endocrinologista disse: peso não é tudo, você precisa é perder gordura e ganhar massa magra (com exercícios), o que muitas vezes, pode fazer seu peso continuar na mesma ou até aumentar um pouco.

Então, se você quer emagrecer, não espere milagre, tem que ter muita força de vontade, disciplina e comer muita, mas muita salada ;) #ficaadica

Um ótimo fim de semana!

Beijus…

Artigos relacionados: